Projeto de Educação Ambiental traz a publicação: “Receita de bolo de banana sem glúten”.

17/09/2021 15:43

Olá prezada comunidade.

Na nossa publicação anterior trouxemos maiores informações sobre o glúten. Esta publicação traz uma receita de bolo de banana que reutiliza cascas da fruta e que não tem glúten na sua receita. Esperamos que todos possam aproveitar esta proposta culinária.

Nas nossas próximas publicações traremos indicações de filmes sobre a temática ambiental, com a coluna “Quem já viu?”, que podem ser assistidos por toda a família.

#paratodosverem: O cartaz mostra como se prepara uma receita de bolo que reutiliza cascas de banana e não leva glutén. Para fazer a receita vocês deve descascar quatro as bananas, cortar o fruto em rodelas finas e separa-las em um recipiente. Em seguida, retire as extremidades das cascas e, com a parte que sobrou, corte ao meio e coloque em um liquidificador. Acrescente duas xícaras de leite e bata até a mistura ficar homogênea. Em uma batedeira, coloque as claras de dois ovos e bata até ficar em ponto de neve. Depois, acrescente as gemas, três colheres sopa de manteiga e 1 xícara de açúcar. Em seguida, bata os ingredientes até ficar uma mistura homogênea. Acrescente o leite batido com as cascas, uma colher de farinha de linhaça, três xícaras chá de farinha de arroz e uma colher chá de fermento em pó. Unte a forma com óleo e farinha de arroz. Por fim, basta levar ao forno a 180 graus por 30 minutos. Para fazer a calda, pegue as bananas picadas em rodelas, adicione meia xícara de chá de açúcar e uma xícara de chá de água. Em seguida, aqueça os ingredientes numa panela. Adicione a calda após tirar o bolo do forno.

Maiores informações em: https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/.

Projeto de Educação Ambiental traz a publicação: “Você sabia? Glúten”.

01/09/2021 09:11

Olá prezada comunidade.

Trazemos nesta publicação do “Você Sabia?” maiores informações sobre o glúten.

O Glúten é uma proteína amorfa e é encontrado naturalmente na semente de muitos cereais. O glúten ainda é responsável, por exemplo, por dar maciez aos pães, mas também está relacionado a dois tipos de problemas mais comuns como, a doença celíaca e sensibilidade ao glúten. Os sintomas são variados e a pesquisa sobre tratamentos estão avançando.

Na nossa próxima publicação traremos uma receita de bolo de banana que usa as cascas da fruta e que não contém glutén! 😛

Maiores informações em: https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/ ou em https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/2021/09/01/voce-sabia-gluten/

 

#paratodosverem: A figura traz no topo o título “Você sabia”, e embaixo deste título informações sobre restrição e intolerância ao glúten. O Glúten é uma proteína amorfa composta pela mistura de cadeias proteicas longas de gliadina e glutenina. O glúten é obtido através da mistura destas proteínas que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais como o trigo, cevada, triticale e centeio. E ainda na aveia, que naturalmente não contém glúten, porém quando é cultivada e processada juntamente com o trigo, geralmente acontece o que se chama de “contaminação cruzada” O glúten é responsável, por exemplo, por dar maciez aos pães, mas também está relacionado a dois tipos de problemas mais comuns como, a doença celíaca e sensibilidade ao glúten. Sintomas doença celíaca: Diarreia com cólica, anemia não explicada, perda de massa óssea, perda de sensibilidade ou formigamento nos pés ou mãos, perda de peso súbita em momento de crise. Sintomas da sensibilidade ao glúten: depressão, autismo, labilidade emocional, parestesias pelo corpo, vertigem, eczemas, dermatites, prurido idiopático, mudança nos odores corporais, sudorese protusa, constipação intestinal, diarreia, síndrome do cólon irritável, gases, distensão abdominal e deficit imunitário. Tratamento: Já existem alguns estudos e testes com uma possível vacina e alguns remédios, porém atualmente, o mais recomendado como tratamento é a adesão a uma dieta sem glúten.

Projeto de Educação Ambiental traz a obra: “Como eu cheguei aqui?”

16/08/2021 13:54

Olá prezada comunidade escolar.

Conforme informamos em maio de 2021, nós do projeto de educação ambiental indicaremos possibilidades de leituras por meio de livros físicos e e-books para que as famílias, e a comunidade escolar ampliada do NDI, além dos professores da educação básica possam ter referências para seus planejamentos e seu trabalho pedagógico sobre temas como criança, natureza, ciências, sustentabilidade e temas correlatos.

Nossa primeira viagem literária da nossa coluna “Passaporte para a leitura” será a obra: “Como eu cheguei aqui”.

Maiores informações: https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/ ou ainda https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/2021/08/16/passaporte-para-a-leitura-como-eu-cheguei-aqui/

#paratodosverem: A figura apresenta no topo o texto “Passaporte para a leitura”. Do lado esquerdo tomando a maior parte do espaço está a capa do livro. A figura da capa do livro é composta por um título central “Como eu cheguei aqui” do autor Philip Bunting, que também é o ilustrador da obra. Ao redor do título estão desenho simples representando os planetas, a evolução do homens, desde o parente símio com os outros macacos, passando pelos homenídios anteriores e ainda dinossauros, fogo e um polvo, entre outras figuras. Do lado direito em uma coluna estão o texto principal e as informações sobre a obra: “Nossa primeira viagem será o livro “Como eu cheguei aqui?” de Philip Bunting, da Brinque-Book. Neste livro, aprendemos de forma divertida e lúdica a história da nossa vida desde o Big Bang até o nosso nascimento. Um convite para quem é curioso/a e adora fazer perguntas… Vamos juntos viver esta grande aventura”. E após algumas informações sobre o livro: Lançado em março de 2020, Traduzido por Gilda de Aquino, trinta e seis páginas”.

Receita de filé de frango com Ora-pro-nobis

03/08/2021 16:09

Olá prezada comunidade.

Anteriormente nós falamos sobre a PANC “Ora-pro-nobis”, o fato de ser comestível e seu uso culinário. Hoje nós trazemos uma opção culinária: Filé de frango com Ora-pro-nobis. 😛

#paratodosverem: O cartaz mostra como se prepara a receita “Filé de frango com Ora-pro-nobis”. Junte numa panela o azeite, o filé de frango e leve ao fogo. Mexa em fogo brando até dourar levemente. Acrescente a cebola e depois o alho os deixando fritar com o frango. Acrescente o pimentão, o tomate e refogue. Junte a pimenta e a cúrcuma com um poco de água e deixe cozinhar até formar um molho. Após o frango estar cozido acrescente as folhas de ora-pro-nóbis e a cebolinha verde e os deixe cozinhar por mais três minutos em fogo brando. Sugerimos como acompanhamento para o frango com Ora-pro-nobis: arroz integral, feijão e saladas verdes.

Você sabia que a Ora-pro-nobis é uma PANC?

17/07/2021 16:09

#paratodosverem: A figura traz no topo em letras grandes o nome “Você sabia” e do lado direito uma imagem da planta da Ora-pro-nobis e na parte de baixo ainda a direita outra imagem apenas das folhas que são de um verde bastante escuro e tem um formato quase arredondado. No cartaz estão escritas informações sobre a Ora-pro-nobis: “Você já deve ter visto ou ouvido falar desta planta, mas muita gente não sabe que ela é comestível e pode render um ensopado, uma saladinha ou um outro prato a depender de sua criatividade! A ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata mill) é uma PANC, ou seja, Planta Alimentícia não Convencional e é muitas vezes considerada uma praga ou simplesmente utilizada como uma planta ornamental. Talvez por desconhecimento das pessoas sobre a planta e/ou de suas propriedades nutritivas, geralmente é descartada da alimentação. Porém suas folhas são comestíveis e possuem alto teor protéico, sendo apelidada de “carne dos pobres”. Além de suas folhas, as flores e frutos também são comestíveis. É preciso tomar cuidado com o uso devido aos espinhos.”

Divulgação do Webinário: “Educação Ambiental na educação básica: Propostas pedagógicas em perspectiva”

24/06/2021 13:30

No mês do meio ambiente o projeto de extensão em educação ambiental do NDI lhes convida para o webinário:

‘Educação Ambiental na educação básica: Propostas pedagógicas em perspectiva’.

O evento ocorrerá nos dias 28 de junho de 2021, das 18:30 as 20:30, e no dia 29 de junho de 2021 das 8:15 as 17:00.

O webinário será transmitido pelo Youtube. Os links de acesso serão enviados no momento da inscrição e confirmação de participação.

Inscrições em: http://inscricoes.ufsc.br/webinarioedambiental, http://inscricoes.ufsc.br/activities/6019 ou http://inscricoes.ufsc.br/

O evento contará com certificação de 10 horas e tem vagas limitadas.

Mais informações no site: https://projetoeducacaoambientalndi.paginas.ufsc.br/ ou pelo e-mail edambiental.ndi@contato.ufsc.br

 

 

Bolo nutritivo de abóbora paulista

01/06/2021 16:08

Prezada comunidade escolar.

Conforme informamos anteriormente retomaremos as publicações de receitas continuarão ocorrendo ao longo de 2021. Publicaremos receitas com redução de açúcar, sódio, gordura, glúten e lactose observando a variedade de alergias alimentares que podem surgir na infância. Continuaremos a propor receitas que integrem a família na preparação do alimento tendo em vista um maior consumo de alimentos frescos ou minimamente processados. Se você tiver alguma receita que queria disponibilizar para nós, entre em contato pelo edambiental.ndi@contato.ufsc.br, quem sabe sua receita aparece na nossa página.

#paratodosverem: A imagem mostra uma abóbora paulista cortada ao meio e uma dessas metade em pedaços ao lado do bolo finalizado à esquerda da figura. À direita está a receita. Receita de bolo nutritivo de abóbora paulista: Bata no liquidificador duas xícaras de abóbora paulista, três ovos, meia xícara de óleo de girassol e uma xícara  e meia de açúcar demerara, preferencialmente orgânico. Todas as medidas de xícara são a medida padrão de xícara de chá. Em uma tigela, misture duas xícara e meia de farinha de trigo, uma colher de sopa de canela, uma colher de chá de raspas de limão, meia xícara de uvas passa e acrescente a massa batida no liquidificador. Todas as medidas de xícara são a medida padrão de xícara de chá. Mexa bem e acrescente uma colher de sopa de fermento. Coloque em uma assadeira untada e enfarinhada. Asse em forno médio preaquecido até dourar. Bom apetite!

Projeto de Educação Ambiental lança uma nova coluna: “Quem já viu?”

24/05/2021 15:56

Prezada comunidade escolar.

Como informamos semana passada as publicações do projeto de Educação Ambiental serão retomadas a partir desta semana. As publicações serão semanais. Este ano teremos uma coluna nova com publicações de indicações de possibilidades de filmes, séries e documentários para que as famílias, comunidade escolar e público alvo do projeto possam assistir e se apropriar do debate ambiental, introduzindo o debate com as crianças e/ou adolescentes.

Nossa primeira indicação de filme é “Lorax”.

#paratodosverem: O cartaz apresenta o Lorax, personagem principal do filme, a direita do cartaz. Um bicho de pelúcia com um grande bigode ao centro e outros personagens do filme estão ao lado. O cartaz descreve que: “Ted vive em um lugar onde as árvores são feitas de plástico e tudo é artificial. Ele deixa a cidade com a intenção de trazer uma árvore de verdade para impressionar a garota por quem é apaixonado. Disposto a realizar esse desejo Ted embarca nessa aventura por uma terra desconhecida …. e lá conhece Lorax, uma criatura curiosa e preocupada com o futuro do seu mundo. O filme é um chamado leve e divertido para a concientização ecológica. O filme foi lançado em 30 de março de 2012. Tem duração de 87min e está disponível nas plataformas Amazon Prime Vídeo e Netflix. A fonte das informações é o site: https://www.adorocinema.com/filmes/filme-170530/

Projeto de Extensão Educação Ambiental – Catálogo de atividades

18/12/2020 15:59

Os membros do projeto de extensão “Educação Ambiental – refletindo sobre a criança e natureza na Educação Infantil” elaboraram um catálogo, onde buscam apresentar algumas das práticas educativas desenvolvidas por meio das atividades realizadas com e pelas crianças, articuladas aos projetos de ensino dos professores do NDI. As atividades são apresentadas com seus objetivos, metodologias, materiais, fotos e diversas ideias.

As proposições são pautadas na perspectiva histórico-cultural (tendo como partida a relação do homem com a natureza) e se materializam em conhecimentos que buscam contribuir para a construção da responsabilidade socioambiental e à emancipação humana. O projeto tem como principais objetivos: o foco nos processos de preservação da natureza, o desenvolvimento sustentável e, simultaneamente, uma educação estética e crítica em relação ao meio ambiente.

Este catálogo foi elaborado no sentido de contribuir na formação inicial e continuada de professores da rede pública de ensino, ampliando as discussões e possibilidades do trabalho pedagógico com foco na Educação Ambiental na Educação Infantil.

Para visualizar o catálogo completo de atividades, clique aqui.

Projeto de educação apresenta mais uma receita sustentável: Pão de abóbora com casca

30/11/2020 15:54

Para esta semana, o projeto de Educação Ambiental do NDI traz uma receita de Pão de abóbora com casca.

#paratodosverem: A figura traz acima o título “Pão de abóbora com casca”. Na lateral esquerda estão duas figuras: uma mais acima com pedaços de abóbora e caroço de abóbora e abaixo deste o pão já pronto. Na lateral direita e na parte de baixo está a receita. Antes de iniciar a produção do pão você deve: Cortar cento e vinte gramas de abóbora em meia lua, sem retirar a casca. Levar ao forno para assar ou cozinhar com um pouco de água até chegar ao ponto de poder amassar com garfo e formar um purê. Reserve este purê. Misture com as mãos ou batedeira quatrocentos gramas de farinha de trigo (de preferência integral) com duzentos e quarenta milímetros de água, deixando descansar por trinta minutos a uma hora. Depois na batedeira acrescente os outros ingredientes: o purê de abóbora preparado anteriormente, cem gramas de levain (fermento natural) ou cinco gramas de fermento seco instantâneo e quarenta gramas de mel. Bata bem até obter uma massa homogênea. Junte oito gramas de sal. Bata bem até obter uma massa homogênea. Coloque a massa em forma de pão untada e enfarinhada. Cubra com plástico film e leve para geladeira para fermentação lenta. Deixe até o outro dia. Retire pelo menos três horas antes de assar para deixar crescer em temperatura ambiente, a massa deve dobrar do tamanho inicial. Retire o plástico film. Asse em forno pré-aquecido a cento e noventa graus até crescer mais um pouco e dourar em cima. Uma forma com água pode ser colocada dentro do forno junto para assar, assim a massa assa ao vapor e o pão fica mais macio.

  • Página 1 de 3
  • 1
  • 2
  • 3