Apresentando: Grupo de Estudos e Pesquisas Infância, Literatura e Educação (NDI/UFSC/CNPq)

08/07/2021 10:50

O Grupo de Estudos e Pesquisas Infância, Literatura e Educação pretende articular projetos de extensão e pesquisa em desenvolvimento no Núcleo de Desenvolvimento Infantil da Universidade Federal de Santa Catarina, desde 2011, sob a coordenação da professora Dra. Caroline Machado, que articulam questões relacionadas à mediação de leitura e formação de leitores (destacadamente, crianças de 0 a 3 anos). O grupo está em profícuo diálogo com o Grupo de Pesquisa em Literatura Infantil e Juvenil e práticas de mediação literária (LITERALISE/UFSC) e com o Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC/UMinho-Portugal).

Nesse momento, estão em desenvolvimento os seguintes projetos:

Projeto de Extensão Infância e Literatura: experiência estética e formação de pequenos leitores (2011-atual);

Grupo de Estudos Infância, Estética e Educação (2017-atual);

Pesquisa Pressupostos teórico-metodológicos para o trabalho pedagógico com crianças de 0 a 3 anos no NDI/UFSC (2019-2023);

Pesquisa Mediação de leitura literária e formação de pequenos leitores (2020-2022).

Pesquisadores/as:

Dra. Caroline Machado (NDI/CED/UFSC)

Dra. Juliete Schneider (NDI/CED/UFSC)

Ms. Letícia Cunha da Silva (NDI/CED/UFSC)

Dra. Lilane Maria de Moura Chagas (MEN/CED/UFSC)

Dr. Rodrigo Antonio Chioda (NDI/CED/UFSC)

Dnda. Rosiane Pinto Machado (UMinho/Portugal)

Ms. Rubia Vanessa Vicente Demetrio (NDI/CED/UFSC)

Dnda. Saskya Carolyne Bodenmüller (NDI/CED/UFSC)

Estudante:

Eduarda Sedrez Schollemberg (Letras/CCE/UFSC) Bolsista PIBIC/CED/UFSC

Linhas de Pesquisa

  1. Literatura, mediação e formação de leitores

Tomando a literatura como importante mediador entre a criança e a cultura, destacamos, como objetivo central dos trabalhos articulados à essa linha de pesquisa, aprofundar o conhecimento sobre a relação entre infância e experiência estética literária, considerando principalmente a literatura na formação de crianças, de forma a buscar a geração de bases teórico-metodológicas para o trabalho com essa faixa-etária, destacadamente com crianças de 0 a 3 anos.

 

  1. Pressupostos teórico-metodológicos para o trabalho pedagógico com crianças de 0 a 3 anos

Reunir (pesquisar/elaborar) pressupostos teórico-metodológicos para o trabalho pedagógico desenvolvido com as crianças pequenas (0 a 3 anos), considerando a necessária articulação entre reflexão teórica e prática pedagógica. A literatura, nesse contexto, se coloca como importante eixo estruturante do trabalho pedagógico e se coloca como foco das pesquisas em desenvolvimento.

 

Maiores informações podem ser acessadas no registro do grupo no diretório do CNPq (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6995374278863324) ou com a coordenação (carolmachadom@yahoo.com.br).

Participação de Projeto de Extensão do NDI no Seminário Internacional Fazendo Gênero 12

25/05/2021 18:44

O Seminário Internacional Fazendo Gênero 12 acontecerá em julho de 2021 na UFSC.

O tema deste ano é “Lugares de fala: direitos, diversidades, afetos”. Nele, criou-se um espaço efetivo de participação das crianças – o “Crianças no Fazendo Gênero” – valorizando suas falas e olhares sobre o mundo e incluindo-as na programação oficial do evento com uma “Conferências das Crianças” no dia 27/07/2021 das 08h30min às 09h45min, além de oficinas online entre 13 e 24/07, onde ocupam lugar central como pesquisadores(as) e pensadores(as).

Essas propostas fazem parte do projeto de extensão do NDI intitulado “Diferenças na Educação Infantil – gênero, corpo e infância”, coordenado pela professora Regina Ingrid Bragagnolo.

A comissão do Crianças no FG é coordenada por Rita de Cácia Oenning da Silva, integrante da Usina da Imaginação e Regina Ingrid Bragagnolo, integrante do NDI.

Para maiores informações sobre programação e inscrições, acesse: https://www.fg2021.eventos.dype.com.br/

Projeto de extensão Infância e Literatura: Memória dos piqueniques literários e vídeo de contação de poemas

21/05/2021 10:41

O Projeto de Extensão Infância e Literatura: experiência estética e formação de pequenos leitores, rememora o segundo piquenique literário e apresenta um vídeo de contação de poemas, com as professoras Caroline Machado, Juliete Schneider, Lilane Chagas, Rosiane Machado, Rubia Demetrio e Saskya Bodenmuller.

 

No segundo piquenique literário, em 2014, optamos por enfatizar os poemas, esse gênero textual que, apesar de tanta proximidade com a experiência infantil, muitas vezes encontra pouco espaço nas instituições de educação ou é demasiadamente instrumentalizado.

Convidamos toda a comunidade à fruição de poemas (para todas as idades!) de vários poetas e poetisas brasileiros: Paulo Leminski, Cecília Meireles, Vinícius de Moraes, Manoel de Barros, Ferreira Gullar, Alice Ruiz, Conceição Evaristo, José Paulo Paes, Marina Colasanti, Lalau e Laurabeatriz, entre outros.

“O poeta dizia que os versos libertam as coisas. Que quando percebemos a poesia de uma pedra, libertamos a pedra de sua “pedridade”. Salvamos tudo com a beleza. Salvamos tudo com poemas. Olhamos para um ramo morto e ele floresce. Estava apenas esquecido de quem era. Temos de libertar as coisas. Isso é um grande trabalho” (Vamos comprar um poeta, de Afonso Cruz).

 

Antologia ilustrada da poesia brasileira para crianças de qualquer idade

A multiartista Adriana Calcanhoto inaugura, com essa Antologia ilustrada da poesia brasileira para crianças de qualquer idade (Editora Casa da Palavra, 2013), sua carreira de escritora e ilustradora. Composto por 48 poemas de impressionante variedade formal, como observa Eduardo Coelho em sua apresentação do livro: poesia “metrificada e rimada; em versos livres, com linguagem mais prosaica; textos sintéticos e visuais, típicos da poesia concreta ou, no caso dos haicais, em diálogo com a poesia japonesa”. Apresentando diferentes gerações de poetas, representantes de distintos momentos da literatura brasileira (entre os séculos XIX e XXI), a autora faz valer o que propõe no subtítulo do livro: oferecer poesia para qualquer idade. Ao final da publicação, antes da bibliografia, encontramos curtas biografias dos poetas que incluem indicações de suas principais obras. Em 2014, o livro teve sua relevância reconhecida recebendo, entre outros, o prêmio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLIJ de melhor livro de Poesia.

Livro: Antologia ilustrada da poesia brasileira

Organização e ilustração: Adriana Calcanhotto

Editora Casa da Palavra (2013) e Edições de Janeiro (2014)

Resenha de Caroline Machado

Referências:

CALCANHOTTO, Adriana. Antologia ilustrada da poesia brasileira para crianças de qualquer idade. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013. 136p.

CALCANHOTTO, Adriana. Antologia ilustrada da poesia brasileira para crianças de qualquer idade. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2014. 144p.

MACHADO, Caroline. Poesia brasileira para crianças de qualquer idade. In: DEBUS, E.; SPENGLER, M. L. P.; SILVEIRA, R. de F. K. (Orgs.). – 1 ed. – Tubarão (SC): Copiart, 2020. p. 66-71.

Literatura, Imaginação e criação na Educação Infantil

14/05/2021 11:47

Prezados (as),

Divulgamos a atividade Literatura, Imaginação e criação na Educação Infantil, coordenada pela professora Débora Cristina de Sampaio Peixe.

Compartilhamos a apresentação do vídeo referente à história “Quase de verdade” da autora Clarice Lispector.
Você conhecerá Ulisses, o cachorro com “olhar de gente” que latiu essa história para a Clarice. Na história, você encontrará galos e galinhas, figueiras, magia, nuvens, bruxas e jabuticabas. Com vocês: Ulisses e uma história em que tudo é “quase de verdade”!”

Acompanhem no vídeo abaixo e neste material, que contextualiza a atividade: Apresentação Quase de verdade

Projeto de Extensão Educação Ambiental – Catálogo de atividades

18/12/2020 15:59

Os membros do projeto de extensão “Educação Ambiental – refletindo sobre a criança e natureza na Educação Infantil” elaboraram um catálogo, onde buscam apresentar algumas das práticas educativas desenvolvidas por meio das atividades realizadas com e pelas crianças, articuladas aos projetos de ensino dos professores do NDI. As atividades são apresentadas com seus objetivos, metodologias, materiais, fotos e diversas ideias.

As proposições são pautadas na perspectiva histórico-cultural (tendo como partida a relação do homem com a natureza) e se materializam em conhecimentos que buscam contribuir para a construção da responsabilidade socioambiental e à emancipação humana. O projeto tem como principais objetivos: o foco nos processos de preservação da natureza, o desenvolvimento sustentável e, simultaneamente, uma educação estética e crítica em relação ao meio ambiente.

Este catálogo foi elaborado no sentido de contribuir na formação inicial e continuada de professores da rede pública de ensino, ampliando as discussões e possibilidades do trabalho pedagógico com foco na Educação Ambiental na Educação Infantil.

Para visualizar o catálogo completo de atividades, clique aqui.

Projeto de Extensão – Infância e Literatura – O rinoceronte que queria voar

10/12/2020 12:07

Dando prosseguimento à apresentação das memórias dos Piqueniques Literários realizados desde 2014, por iniciativa do Projeto de Extensão Infância e Literatura: experiência estética e formação de pequenos leitores, apresentamos a resenha e vídeo referentes à história “O rinoceronte que queria voar”, de Nadia Adina Rose.

A história “O rinoceronte que queria voar” apresenta, de forma poética, o desejo inusitado de alguns animais: uma tartaruga míope que queria ver mais longe; uma iguana, que desejava ver a neve; um pássaro, que sonhou em mergulhar no mar; uma coruja, que sonhava em ver o sol; e um rinoceronte, que queria voar. Ao realizarem seus sonhos, viveram novos movimentos e sensações, mostrando que é possível pensarmos além dos nossos limites, e sermos protagonistas da nossa própria história. A autora fala de si, como uma criança que queria pintar a própria história. Assim, convida o leitor a se inserir na narrativa e sonhar! A autora russa Nadia Adina Rose é artista, ilustradora e professora de artes, e é também ilustradora da narrativa. Ela constrói os desenhos com papel machê e colagem, que imprimem movimento e realidade a cada página.

Livro: O rinoceronte que queria voar;

Escritora e Ilustradora: Nadia Adina Rose;

Tradução: Cristiana Negrão;

Editora: DSOP, 2012;

Autoria da resenha: Juliete Schneider.

Projeto de Extensão – Apotheke na Escola – Têmpera com ovo

04/12/2020 15:48

O projeto de extensão Apotheke na Escola, apresenta sua última publicação. Todas as publicações anteriores poderão ser encontradas aqui. O projeto busca em seus encontros do grupo de estudos estabelecer vínculos efetivos das teorias com as práticas pedagógicas. Para tanto, criou-se uma rede de trocas e partilhas, tanto das metodologias de Ensino das Artes Visuais, quanto de possibilidades de experimentação de práticas e fazeres cotidianos.

Desta forma, o grupo compartilha uma receita de têmpera que pode ser feita com materiais de uso culinário e que possibilita o uso ampliado por diferentes faixas etárias.

Projeto de Extensão – Apotheke na Escola – Tinta com grude de farinha

26/11/2020 17:41

O projeto de extensão Apotheke na Escola, que foi apresentado em publicação da semana anterior, a qual pode ser lida aqui, tem seus objetivos voltados para a formação continuada. Em seus encontros do grupo de estudos, busca-se estabelecer vínculos efetivos das teorias com as práticas pedagógicas. Para tanto, criou-se uma rede de trocas e partilhas, tanto das metodologias de Ensino das Artes Visuais, quanto de possibilidades de experimentação de práticas e fazeres cotidianos.

Desta forma, o grupo compartilha uma receita de tinta que pode ser feita com materiais de uso culinário e que possibilita o uso ampliado por diferentes faixas etárias.

Seguimos à disposição através do e-mail: copex.ndi@contato.ufsc.br

Projeto de Extensão “NDI Comunidade” – Roda de conversa entre servidores da UFSC

26/11/2020 09:43

No dia 21 de outubro de 2020 uma roda de conversa reuniu servidores que possuem filhos em idade escolar, cadastrados previamente no Painel do Grupo de Risco da da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A ação foi requerida pela Divisão de Serviço Social – Atenção ao Servidor (DiSS), da Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Prodegesp), e contou com a parceria do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI).

A ação foi conduzida pelas professoras Juliana da Silva Euzébio, coordenadora do Projeto de Extensão “NDI Comunidade”, e Thaisa Neiverth, vice-diretora do NDI. Cerca de 28 servidores participaram da iniciativa por meio de plataforma online de conferência. A ideia principal foi orientar pais e mães no sentido de que o mais importante nesse momento é cuidar de si, do outro e manter o equilíbrio. Além disso, foram apresentadas sugestões de intervenções possíveis para bebês e crianças em idade pré-escolar e assim poder compreender as funções específicas ocupadas pela escola e as possibilidades de desenvolvimento dos filhos em casa.

Na ocasião foram abordadas questões acerca do desenvolvimento infantil em tempos de distanciamento social, a partir das demandas expressadas por um grupo significativo de servidores acompanhados pela DiSS relacionadas a dificuldades na conciliação do trabalho remoto e os cuidados com os filhos. A atividade oportunizou o compartilhamento de experiências neste momento tão desafiador para a comunidade universitária.

“A partir da solicitação recebida pela Divisão de Serviço Social, buscando uma formação para as famílias que as orientassem nesse momento de pandemia de Covid-19, nós nos organizamos para atendê-los da melhor forma, e essa roda de conversa buscou contribuir nesse momento excepcional, apresentando às famílias mediações possíveis de serem realizadas em casa com vistas ao desenvolvimento integral das crianças”, reforçou a professora Juliana.

“Neste período de quarentena todos estamos tentando proporcionar aos nossos filhos condições de desenvolvimento e aprendizagem apropriadas em equilíbrio com as nossas funções sociais”, acrescentou a professora Thaisa que, além de atuar na educação infantil e na gestão do Núcleo, é mãe de duas meninas de 4 e 7 anos. A docente explicou que, na perspectiva do NDI, a criança é compreendida “como um ser social que aprende a partir de sua interação com os outros e com o meio em que está inserida”. Salientou que nesse momento em que a convivência está restrita, devemos fazer escolhas, entre elas:

  • saber que o espaço doméstico não poderá cumprir a função social da escola, mesmo que com alguma rotina de cumprimento de tarefas ou atividades;
  • ter clareza de que os pais que já ocupavam um papel de destaque na mediação, serão por vezes os únicos interlocutores das crianças;
  • estabelecer rotinas equilibradas e prioridades;
  • compreender a necessidade de flexibilizar expectativas; e principalmente,
  • entender como a criança aprende e quais são suas principais necessidades.

Abaixo, algumas prioridades de acordo com a faixa etária:

Crianças de 0 a 3 anos

  • Estimulem atividades do interesse das crianças com livros, filmes, brinquedos…
  • Estimular a comunicação da criança com o meio em que está inserida;
  • Apresentar o mundo aos bebês;
  • Auxiliar a criança a compreender a ação dos objetos tendo a linguagem oral como campo mediador;
  • Proporcionar as crianças ambientes estimulantes e seguros;
  • Proporcionar condições favoráveis e seguras que oportunizem as crianças se movimentarem livremente.

Crianças de 4 a 6 anos

  • Possibilitar o desenvolvimento mais acurado da consciência de si e de seu entorno;
  • Proporcionar níveis mais avançados de sociabilidade;
  • Propiciar a formação da conduta arbitrada;
  • Estimular o desenvolvimento mais acentuado das instâncias morais e éticas de seus comportamentos;
  • Estimular a consciência mais acurada dos sentimentos;
  • Contribuir para a transição gradativa do pensamento empírico concreto para formas mais abstratas de pensamento;
  • Possibilitar o desenvolvimento de formas mais lógicas de raciocínio;
  • Promover condições para o desenvolvimento sistêmico da percepção, o pensamento, a linguagem e memória;
  • Criar situações para o estabelecimento de relações de causa e efeito;
  • Instigar a capacidade para análises, sínteses e generalizações primárias;
  • Sistematizar situações que viabilizem a aquisição de habilidades mais complexas, tais como a exemplo da leitura, escrita e a contagem.


E os pais, o que podem fazer?

Saibam que terão de lidar com o medo das crianças, para isso filtrem informações, falem a verdade e conversem com seus filhos

  • Primeiro cuidem-se, as crianças sentem e percebem tudo que se passa ao redor delas;
  • Expliquem para a criança o que é a Covid-19, considerando a capacidade delas de compreensão;
  • Expliquem de maneira lúdica as regras de higiene e etiqueta respiratória;
  • Procurem estratégias para relaxarem, pois isso diminui a ansiedade e nos ajudam a ter um dia a dia mais agradável;
  • Saibam que terão de lidar com o medo das crianças, para isso filtrem informações, falem a verdade e conversem com seus filhos. Uma boa dica é tentar materializar os medos, por exemplo, desenhar um coronavírus e jogá-lo fora;
  • Deem a crianças liberdade para brincarem sozinhas;
  • Tentem estabelecer rotinas, diferenciem atividades de dia, da noite, escolares e livres. Contem com a ajuda e considerem o desejo das crianças, quando possível;
  • Brinquem com as crianças, as conversas estimulantes e a partilha de momentos significativos ampliam o repertório dos pequenos;
  • Envolvam as crianças nas decisões e tarefas que elas possam cumprir;
  • Estimulem atividades do interesse das crianças, livros, filmes, brinquedos;
  • Estimulem a criatividade e imaginação dos seus filhos;
  • Criem estratégias para socialização das crianças, de maneira segura;
  • Se precisarem… peçam ajuda!

Mais informações sobre o projeto podem ser acessadas no site https://ndicomunidade.paginas.ufsc.br/.

A partir de: https://noticias.ufsc.br/2020/11/servidores-dividem-experiencias-sobre-trabalho-remoto-e-cuidados-com-as-criancas/

 

Projetos de Extensão do NDI – Apotheke na Escola.

19/11/2020 17:36

Prezada comunidade,

Dando continuidade à apresentação dos projetos de extensão em execução no NDI, durante o mês de novembro, publicaremos, semanalmente, material produzido pelo projeto: “Apotheke na Escola – uma relação entre ensino das Artes Visuais, escola, espaço e tempo“.

Iniciaremos essa divulgação contando um pouco sobre o que faz o projeto de extensão.

O Projeto de Extensão Apotheke na Escola – uma relação entre ensino das Artes Visuais, escola, espaço e tempo, caracteriza-se por uma parceria entre o Núcleo de Desenvolvimento Infantil/NDI, da Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC e o Programa de Pós Graduação em Artes Visuais/PPGAV, da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC. Sua organização primeira, parte de um Programa de Extensão mais amplo, vinculado ao mesmo Programa de Pós Graduação já referido. Esta parceria entre as duas universidades citadas, organiza-se em torno de um Grupo de Estudos ofertado como formação continuada para professores e professoras de escolas públicas (preferencialmente) de todo o país. Vinculando-se, desta forma, a uma contribuição entre teoria e prática nas áreas de Artes Visuais, Educação e Infância. Ao todo, são 44 participantes de diversas regiões do país. As ações de estudo do Projeto de Extensão Apotheke na Escola – uma relação entre ensino das Artes Visuais, escola, espaço e tempo, se organizam para o aprofundamento teórico, conceitual, metodológico e prático, no âmbito das experiências educativas em Artes Visuais na Educação, tomando como referencial principal, os conceitos sobre experiência do filósofo John Dewey.

O projeto é coordenado pela Profª. Drª. Angélica D’avila Tasquetto do NDI/UFSC, em parceria com as Profas. Drª. Jociele Lampert de Oliveira/CEART/UDESC e Profª. Mª. Luciana Finco Mendonça/CEART/UDESC.

Maiores informações estão disponíveis no documento em anexo, aqui.

  • Página 1 de 3
  • 1
  • 2
  • 3